29 abril 2017
29 abril 2017, Comentários 0

Suely Caldas Schubert

29 de abril de 2017– Centro Espírita Caminho da Redenção

Profunda conhecedora e praticante da Doutrina Espírita, Suely Caldas Schubert, médium, conferencista e escritora mineira de Juiz de Fora, proferiu a conferencia do dia 29/4/17. A mesa diretiva foi formada por Demétrio Ataíde Lisboa, Presidente do Centro Espírita Caminho da Redenção – CECR; João Araújo, Coordenador do evento; e Marcelo Netto, radicado nos EUA, representando as diversas caravanas presentes.

Suely Caldas Schubert, possuidora de uma memória invejável, de forma clara e ponderada apresentou os primeiros momentos de investigação do Professor Hippolyte Léon Denizard Rivail. Em junho de 1856 o Professor Rivail recebeu a confirmação de sua missão através de mensagem veiculada pela médium Aline. Cumprindo a promessa de Jesus, a Doutrina Espírita é o Consolador prometido que veio para apresentar fatos novos e lembrar os que haviam sido esquecidos.

 

 

 

Incessantemente o Professor Rivail trabalhou com afinco, estudou, com método científico, todas as anotações recebidas mediunicamente de alguns médiuns, aprofundou suas pesquisas com inúmeras perguntas diretas aos Espíritos Superiores. A inteligência e a capacidade de discernimento do mestre lionês, missionário de primeira grandeza, capacitava-o para a grandiosa missão: codificar o que seria conhecida, mais tarde, como a Doutrina Espírita, a terceira revelação, o consolador predito pelo Mestre Nazareno.

As perguntas realizadas pelo Professor Rivail aos Espíritos que participaram da revelação divina, fazem pressupor, com convicção, que o eminente pedagogo tinha conhecimento, intuitivamente, das respostas. A Doutrina Espírita apresenta uma proposta transformadora no campo moral, espiritual e ético, facilitando ao homem alcançar a mansuetude e a paz íntima.

A eloquente conferencista mineira salientou a natureza divina do Espírito, a sua condição de conter o Reino de Deus dentro de si, a Lei Divina insculpida na consciência de cada ser humano, a condição de imortalidade do Espírito, o seu livre-arbítrio, o amor que lhe é ínsito, a caridade como sendo o império da benevolência, da indulgência e do perdão.

O mundo físico, sempre de caráter passageiro e transitório é estágio de desenvolvimento espiritual, intelectual e moral. Finalizando, Suely foi categórica em afirmar que todos estão sendo convidados por Jesus para participar dessa transformação, transitando de um mundo de provas e de expiação, para um mundo de regeneração. Não há isentos. Como seres imortais e perfectíveis, jornadeamos para a luz imperecível. Com muitos aplausos, o público agradeceu, conferindo-lhe louvores pelo belo trabalho doutrinário.

Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke

Comments are closed.