7 setembro 2016
7 setembro 2016, Comentários 0

A Sociedade Espírita Fraternidade (SEF) promoveu na manhã desta quarta-feira dia 7 de setembro, no auditório do Clube Português de Niterói, dentro das comemorações de seus 36 anos de fundação seu X Seminário com a participação do orador Divaldo Pereira Franco que discursou para um público em torno de 1300 pessoas sobre o tema “Os Quatro Gigantes da Alma”, com base no livro homônimo editado em 1947 do psiquiatra cubano Emilio Mira y López (1896/1964).

O orador baiano, começou por falar do advento do Cristianismo, da chegada do Divino Galileu, de sua recente viagem à Grécia e da Doutrina Espírita que veio trazer novas perspectivas para a Humanidade.

Divaldo Franco contou a história contida na obra “A Sinfonia Pastoral” de Andre Gide (1869/1951) inspirada na sinfonia nº 6 de Ludwig van Beethoven (1770/1827), obra esta que conta a história de uma menina cega que abandonada pela família é adotada e educada por um pastor. A menina, vivendo em Paris foi submetida a uma cirurgia que lhe restituiu a visão. Perguntada o que gostaria de ver, falou que gostaria de contemplar a Natureza. Vendo a beleza das árvores, perguntou ao seu tutor por que razão as pessoas eram tão tristes, se havia tanta beleza no mundo.

 

Divaldo aproveita o gancho para falar da beleza da Doutrina Espírita que esclarece, conforta e enfatiza o amor de Deus por cada um de nós; cita o escritor russo Fiodor Dostoyevsky (1821/1881) que em sua obra “O Idiota” escreveu que a beleza salvará o mundo.

E entrando no tema da palestra, Divaldo Franco menciona os quatro gigantes da alma: rotina, ansiedade, medo e solidão. Elementos estes, presentes na vida de quase todos nós, comprometendo o nosso equilíbrio físico, psicológico e espiritual, impedindo-nos de alcançar a paz e a felicidade. Vivemos para satisfação de nossos instintos básicos: comer, repousar e praticar sexo. A falta de metas psicológicas profundas em nossa existência, nos levam a permanentes estados de ansiedade, sem confiança em nós mesmos e na providência divina.

Divaldo buscou mostrar que devemos realizar um grande esforço para transformar os quatro gigantes da alma em quatro caminhos alternativos e positivos. Substituir a rotina por uma vida dinâmica, buscando novas atividades, experimentando novas coisas; buscar enfrentar o medo, com audácia, coragem; trocarmos a ansiedade pela confiança em nós mesmos e na justiça divina que é misericordiosa, que tudo provê; e, por fim, educar nossa libido, para que vivenciemos o amor mais puro, livre de conflitos e desequilíbrios perturbadores.

Nos intervalos do seminário, divido em três etapas, Divaldo Franco e Raul Teixeira autografaram seus livros, além das fotos com os presentes que mostravam a felicidade por levaram uma recordação daquele grande momento.

José Raul Teixeira agradeceu a presença do amigo Divaldo Franco a quem chamou de padrinho, encerrando o evento com todos voltando às atividades normais do dia, com farto material para suas reflexões.

Fotos e texto: Luismar Ornelas de Lima

Comments are closed.