28 agosto 2016
28 agosto 2016, Comentários 0

Em tarde/noite agradabilíssimos, foi realizado o Minisseminário O Ser Humano em Busca de Deus, com o conferencista incomparável Divaldo Pereira Franco. O evento, promovido pela União Municipal Espírita de Novo Hamburgo, foi realizado no Teatro da FEEVALE, na mesma cidade.

Apresentando os principais acontecimentos históricos, notadamente na França a partir do Século XVIII, Divaldo promoveu uma viagem ao passado. O empirismo filosófico cedeu lugar ao Iluminismo, a queda da nobreza, o coroamento de Napoleão e sua queda, a reencarnação de Hippolyte Léon Denizard Rivail, mais tarde conhecido como Allan Kardec, a importância e a crença em Deus e a repercussão da fé, do amor.

Citando Abraham Cressy Morrison, químico americano, O Semeador de Estrelas discorreu sobre a tese em que o químico descreve sete razões pelas quais um cientista acredita na existência de Deus: a lei de probabilidades; a vida; os instintos dos animais; os genes e cromossomos; a inteligência/razão; o equilíbrio do ecossistema; e a imaginação.

A constatação de Cressy Morrison está em concordância com os ensinamentos espíritas, notadamente no que diz respeito ao conteúdo das perguntas e respostas de números 1 e 4 de O Livro dos Espíritos, onde se lê que Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas, e que a prova de sua existência está neste axioma aplicado à Ciência: “todo efeito tem uma causa; todo efeito inteligente tem uma causa inteligente”.

 

Após narrar a comovente história de Leland Stanford Junior e de sua família, que deu origem à Instituição Stanford, nos Estados Unidos, uma das mais reconhecidas universidades no mundo, Divaldo falou da proposta da Doutrina Espírita e dos benefícios proporcionados por ela em nossas vidas.

O Projeto Genoma Humano, formado por renomados pesquisadores, concluiu que há no homem, um gene divino, o que significa que Deus está no gene do homem.

Deus é amor, quem ama deixa pegadas de luz na noite escura. Pesquisas científicas realizadas pelo Dr. Michael Persinger e Dr. Vilayanur Ramachandran, neurocientistas que descobriram o denominado “Ponto de Deus” no cérebro humano, e pela Dra. Danah Zohar, física que falou por primeira vez da existência da inteligência espiritual, estabelecendo-se, dessa maneira, uma ponte entre a Ciência e o Espiritismo e demonstrando-se que ambos os conhecimentos estão em perfeita sintonia entre si e apontam o ser profundo que somos como a fonte geradora da saúde integral.

O Espiritismo, segundo Divaldo, conduz os indivíduos para além da simples crença nos seus postulados básicos. Oferece as provas da existência de Deus, da imortalidade da alma, da comunicabilidade dos Espíritos e da reencarnação, convidando a todos a cultivar a beleza da vida e a alegria de viver, por meio da adoção de um sentindo psicológico profundo para a existência e da transformação moral para melhor. Destacando a necessidade da autoavaliação e levando em conta a evolução do homem e da natureza que o cerca, colhe ao mesmo tempo o produto de sua semeadura.

A criatura humana é o resultado do somatório das suas próprias aspirações. O homem deve vencer com sacrifício e vontade bem direcionada. Tendo como referência o livro “Os Quatro Compromissos” do autor americano-mexicano tolteca Miguel Ruiz, Divaldo falou sobre a civilização Tolteca surgida há 5.000 anos.

Os Toltecas viveram há muitos milhares de anos e habitavam as regiões onde hoje se situa o México e em algumas áreas do atual Panamá. Vários filósofos e cientistas Toltecas se concentraram na cidade de Teotihuacán, com o propósito de estudar a sabedoria espiritual de seus antepassados que era encarada como uma fonte Divina de felicidade e amor, demonstrando que a ética contemporânea é tão remota quanto a arte de pensar. Nessa cultura, a vida está vinculada a quatro compromissos morais, que são atualíssimos. A verdadeira felicidade é consequência daquilo que se pensa e faz.

Os Xamãs Toltecas elaboraram um método que permitia ao povo assumir uma nova postura na vida, mediante o desenvolvimento de um novo comportamento, onde as pessoas deveriam assumir quatro compromissos em todas as atitudes na vida para consigo, com o próximo e para com a Força Geradora. 1. Seja a vossa palavra incorruptível; 2. Viva de tal forma que não perturbes o outro, ajude, ajudando; 3. Tenha em mente que o mal dos maus não te faz mal; 4. Quando você fizer algo, faça-o muito bem, dando sempre o melhor de si.

Aproximando-se do final do enriquecedor trabalho, o Professor Divaldo Franco narrou a comovente história de sua mãe, Ana Franco, notadamente a sua desencarnação, sua preocupação com a família e as suas atividades no mundo dos Espíritos, em uma demonstração de amor irrestrito e de confiança em Deus. Com a habitual declamação final, momento de enlevo e de oração, as bênçãos divinas se faziam presentes, envolvendo o público composto por 1850 pessoas. Em reconhecimento e gratidão, Divaldo foi amplamente aplaudido.

Texto: Paulo Salerno
Fotos: Leandro Cunha

Comments are closed.