16 janeiro 2016
16 janeiro 2016, Comentários 0

Com o tema: “Justiça Divina: Consolo para a Humanidade”, o médium e orador espírita Divaldo Pereira Franco abriu o 2º dia do III Congresso Espírita Paraense na manhã de 16 de janeiro de 2016. Com o pensamento do notável filósofo latino Cícero, “ A história é a pedra de toque que desgasta o erro e faz brilhar a verdade”, Divaldo citou que dezessete séculos depois, o notável cientista Lord Bacon, estabeleceu que uma filosofia superficial leva a mente humana ao materialismo, mas uma filosofia profunda conduz a mente humana a verdadeira religião.

Recorrendo a Heródoto de Halicarnasso narra que no século VII a.C. vivia na Lídia, país que hoje corresponde à Turquia, o homem mais feliz do mundo.
Creso, Rei da Lídia, fora famoso pela sua riqueza, a qual foi atribuída à exploração das areias auríferas do Pactolo, rio afluente do Hermo onde, segundo a lenda, se banhara o Rei Midas (que transformava em ouro tudo o que tocava). Mandou construir o Templo de Ártemis em Éfeso.

 

Creso tinha dois filhos, um deles era surdo-mudo e o outro, naturalmente seria seu sucessor. E o rei sabendo de uma previsão de um grande clarividente grego, cego, de que, o reino da Lídia seria destruído e seu filho sucessor morto com uma lança, resolve fazer uma experiência, que hoje chamaríamos de uma investigação parapsicológica, testar se existiam os deuses. Reuniu os embaixadores no palácio e os mandou a diferentes países para que eles em contato com os sacerdotes os consultassem sobre o que estaria fazendo Creso em Sardis. Os embaixadores que haviam ido ao mais famoso templo da Grécia, os disseram: estávamos em Delfos defronte da Pitonisa que se encontrava numa convulsão e por sua boca falava o deus Apolo, que disse: vejo nesse momento na cidade de Sardis, o rei ensangüentado, ele acaba de matar uma tartaruga velha e está matando agora um cordeiro novo, pega os pedaços dos dois animais coloca dentro de uma panela de metal com água e ervas perfumadas e começa a coser, o perfume sái do subsolo e toma conta do palácio. Foi então, que o rei levantou-se e gritou: existem os deuses, é verdade, eu fiz uma coisa exótica que não passaria pela cabeça de ninguém, exatamente como relatado. Este é o primeiro fato paranormal da história.

Tempos depois, conforme profetizado pelo médium, seu filho fora assassinado pelo filho do rei Midas, no bosque enquanto se divertiam. Creso lembrou-se que haviam três anos que passava por Sardis o homem mais sábio do mundo, Sólon, entre os 7 sábios da Grécia, Sólon era o mais destacado. Resolveu convidá-lo para um banquete. O filósofo visitou todas as dependências do palácio afim de que avaliasse as riquezas de Creso. Mas olhava tudo com indiferença. Então, Sólon, conheces alguém mais feliz do que eu? – perguntou o rei. E Sólon, decepcionando o rei respondeu que sim. E em sua despedida deu-lhe um conselho: rei, a gente só sabe se a criatura é realmente feliz depois que ela morre. É preciso aguardar a última cena para então sabermos se fomos vitoriosos.
Levado pelo orgulho, Creso declarou guerra aos persas mas foi derrotado e feito prisioneiro. Os persas o amarraram para queimá-lo vivo. Foi quando, já esperando seu destino final, gritou: Oh, Sólon, como tu tinhas razão, a desgraça acompanhou a minha vida, matou meu filho amado, deixou-me só e agora não posso defender nem meu filho doente. Ciro que era perverso, tinha em Sólon o seu pedagogo  e seu mestre e quando ouviu Creso referir-se a ele, comovido com a história,  mandou que o libertassem, colocando-o ainda como seu tesoureiro na Pérsia, para que administrasse os seus bens, para que nunca viesse a esquecer que a felicidade é fugaz mas a sabedoria é para sempre.

Todo o efeito, dirá Allan Kardec, vem de uma causa, logo todo efeito inteligente vem de uma causa inteligente. A base  filosófica da doutrina espírita não é superficial porque se assim fosse levaria o pensamento da criatura humana ao materialismo. É uma base sólida da ciência física. É uma base lógica, então leva à reflexão, a verdadeira religião. O efeito é o nosso processo de evolução. Deus nos criou porque ele é a fonte geradora da vida e ele nos criou como essência, o psiquismo porém com todas as propriedades divinas. Por isso Jesus disse: vós sois deuses, podem fazer tudo que eu faço e muito mais. O espírito Joanna de Ângelis nos garante que nós somos luz, da divina luz gerados. E  temos que desenvolver esse Deus interno, que é esse Cristo interior porque o Reino dos Céus está dentro de nós. E aquilo que é verdade, diz a filosofia psicológica, está em nosso mundo íntimo. Para que nós encontremos a felicidade teremos que viajar para dentro.

Toda viagem pra fora é dos sentidos, é do extinto, é do prazer, é do poder, transitórios. Toda viagem para dentro é do saber, é do identificar, é do descobrir-se. Por isso, na questão 919 do Livro dos Espíritos, o codificador pergunta: qual o método mais eficaz para ser feliz neste mundo e superar as más inclinações?

A doutrina de Carlos Jung  nos diz que as más inclinações são a nossa sombra, o arquétipo, sombra, a nossa herança, antropossociopsicológica, porque aquele psiquismo passou pelos diferentes reinos da natureza foi aglutinação de moléculas na pedra, no mineral; foi a sensibilidade da seiva no vegetal; foi o instinto no animal; é a inteligência no homem; a intuição no anjo, assim sucessivamente, até a perfeição relativa porque a absoluta é Deus e não nos está destinada.

Então nesse processo evolutivo vamos acertando e errando. Os acertos nos promovem, os erros nos estancam. A reencarnação nos permite repetir a experiência para que os erros sejam transformados em conquistas. É necessário que nos curemos do individualismo, do sexismo, do consumismo, que são os três gigantes da alma da atualidade. São as três fases básicas da função animal, comer, dormir e fazer sexo. Todas são automáticas. Prazer que proporciona satisfação e raramente a emoção.

O Conferencista ainda discorre sobre as primeiras emoções que surgiram: o medo, a ira e o amor. São as três emoções básicas. Essas duas primeiras devem ter aproximadamente 100 mil anos. O amor é mais jovem. Por isso é mais difícil amar do que ter raiva. E Divaldo ensina que através do nosso autoconhecimento, vamos identificando nossos pontos vulneráveis, as nossas fragilidades emocionais, e corrigindo-as,  para que as nossas imperfeições morais sejam convertidas em manifestações de amor .  Que jamais poderemos nos colocar numa postura agressiva,  vingativa, porque é uma causa e o efeito virá inadivertidamente. …”Se ele me apunhalou é porque eu devo, estou me liberando das leis que eu violei”…

Conhece-se o verdadeiro espírita pelo esforço que depreende para ser hoje melhor do que ontem para ser amanhã melhor do que hoje. Lutando sempre contra as más imperfeições. Lutando contra a sombra para podermos encontrar o Reino dos Céus.

Logo, essa doutrina da lógica é a do bom tom, é a doutrina da razão. Tudo obedece a Lei de causa e efeito, daí não existe justiça. A misericórdia divina chama-se amor.

Citando uma lição de Emmanuel para Chico Xavier, esclarece-nos que, a lei não cobra dente por dente, olho por olho porque o amor cobre a multidão dos pecados, o bem que nós fazemos anula o mal que nós fizemos. Se erramos, nem por isso devemos nos atormentar, é como ficássemos em débito para com a Luz Divina. Mas a medida que amamos, protegendo uma criança desamparada, uma pessoa idosa e sofrida, desenvolvendo o sentimento da solidariedade, todo o amor que eu fizer, anula o mal que eu fiz. E consigo quitar-me. Talvez o espírito vítima fique com mágoa de mim e um dia nós dois acertaremos na grande jornada da evolução. Daí a doutrina espírita é consoladora, ela é portadora de um consolo extraordinário para a humanidade.

E encerra com mais alguns ensinamentos: …”que não devemos nos perturbar com a morte, e sim agradecer a Deus a presença desse ser espiritual, que se foi bom na Terra estará melhor, e se não foi tão bom assim estará necessitando de nós, que devemos orar por ele; que o significado da vida é construir nossa imortalidade. E em nome dessa imortalidade e triunfo eu vos convoco para entenderes da Justiça Divina e nunca reagir-lhes. Reagir é o extinto, fase primária. Agir é reflexionar, logicar e tomar a atitude correta”… Que a vida só tem um sentido: servir, aquele que não aprender a servir não encontrará a felicidade que Creso não encontrou com o dinheiro.

Ao final da Conferência, Divaldo respondeu às perguntas de presentes e internautas, dentre elas: O passe espírita: O que é o passe e quando nós devemos nos dirigir a uma Casa Espírita para receber o passe; Qual a diferença entre provação, expiação e reparação; como amar a Deus acima de todas as coisas; Se há um tempo determinado para reencarnar ou depende de merecimento; Como podemos controlar o desejo sexual; e se tem se encontrado com freqüência com Chico Xavier.

Texto: Maria Rachel Coelho Pereira

Comments are closed.