10 maio 2018
10 maio 2018, Comentários 0

Divaldo Franco na Europa

Mannheim, 10 de maio de 2018.

No entardecer do dia 10 de maio de 2018, na bela cidade de Mannheim, na Alemanha, o Arauto do Evangelho e da Paz, Divaldo Pereira Franco, iniciou mais um roteiro de palestras pelo continente Europeu. Serão trinta dias de ininterruptas atividades, passando por oito países e onze cidades.

Ainda se recuperando de recente procedimento cirúrgico na coluna, Divaldo Franco, em sua jovialidade, afirma que Deus criou o corpo humano para movimentar-se, portanto, onde surja uma oportunidade de levar o Evangelho do Cristo, de divulgar a amada Doutrina Espírita, ali estará Divaldo, o incansável semeador de estrelas.

 

 

 

Cerca de trezentas pessoas lotaram o salão Trafohaus, onde Divaldo abordou o tema Sich Von Leiden Befrein, ou seja, Libertação do Sofrimento.

Inicialmente a palavra foi passada ao amigo querido Dr. Juan Danilo Rodríguez, médico, terapeuta holístico, e que vem, ultimamente, desempenhando mais um papel de extrema importância, o de acompanhar Divaldo Franco em suas viagens com o olhar atento de médico, prestando auxílio ao querido amigo, irmão, verdadeiro pai. Dr. Juan, dispensando-lhe todos os cuidados necessários, a atenção e o carinho, assemelha-se a um verdadeiro filho. Saudando a todos, discorreu sobre as atividades realizadas na Mansão do Caminho, onde atualmente reside. Dr. Juan, com sua habitual ternura, adentrou-se no campo do sofrimento, da felicidade e do amor, passando de imediato a palavra ao orador da noite.

Divaldo iniciou abordando o fenomenal trabalho desenvolvido por Allan Kardec, referindo-se que o Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal, e que marcha ao lado da ciência acadêmica, aceita todas as descobertas da ciência, mas não se detém onde a ciência se deteve, indo além, dos efeitos remonta às causas. Sidarta Gautama, o Buda, quando questionado sobre o que vem depois da morte, respondeu falando da Reencarnação, pois que a vida do ser imortal é uma só, mergulhando em um novo corpo a cada nova etapa da evolução. Sobre Paulo de Tarso, destacou ter alcançado o pensamento cósmico, afirmando: já não sou eu quem vive, mas o Cristo quem vive em mim. Este é o estado de Nirvana, ou estado de Plenitude, ou ainda, o estado Numinoso, definido por Jung.

O insigne orador alertou que, em geral, temos dificuldades em entender que devemos buscar ser felizes dentro das possibilidades que temos, e não nos inquietarmos com o que não temos, nem sempre necessário. Uma das causas de nossa infelicidade é o apego. Assim, deveremos amar, sem, no entanto, querer ser proprietário. O bom da vida não é ter, mas é viver em paz.

O segredo da vitalidade, afirmou Divaldo, é o pensamento, a qualidade do pensar, a vida interior, fazendo reflexões profundas sobre si próprio, transformando o sofrimento, apenas, em uma questão de desgaste exterior. Quando o amor é externo, alimentado pela libido, ele se desgasta, e desgastando-se, gera o sofrimento.

Com sua larga vivência, Divaldo conduziu a temática do sofrimento de maneira leve e descontraída, fazendo com que a atenta plateia risse com frequência ao narrar suas experiências. A alegria de viver, o prazer de dizer o quanto a vida é bela, tem feito com que Divaldo prossiga vivendo intensamente cada momento de sua vida. A vida, afirmou, não vale pelo número de anos vividos, mas pela intensidade de cada momento vivido.

Ao encerrar, alertou para não nos atormentarmos com coisas secundárias, porque tudo passa na vida, menos o amor de Deus por nós. Foi emocionante ouvir de alguém com uma longa caminhada, como a de Divaldo Franco, as suas vivências de amor a si mesmo, ao próximo, a busca por ser gentil, por amar incondicionalmente.

O auditório ficou embevecido com as narrativas que emocionaram a todos. Certamente foi possível retornar ao quotidiano com uma mensagem de alegria, de amor, antídotos para o sofrimento.

Texto e fotos: Ênio Medeiros
Revisão e adaptação: Paulo Salerno

Comments are closed.