28 maio 2017
28 maio 2017, Comentários 0

Bad Honnef, Alemanha, 28 de maio de 2017

O seminário espírita em Bad Honnef, na Alemanha, teve continuidade no domingo, 28 de maio de 2017, com o tema A criança ferida: Razões Psicológicas do Sofrimento Humano, contando com representantes de 18 diferentes países da Europa. Divaldo Franco, prosseguindo com a temática, lembrou que teve a oportunidade de visitar 41 cidades, nestes 35 anos em que apresenta os postulados espíritas na Alemanha. A primeira vez que falou em solo alemão, contou com um público de nove pessoas, no segundo ano o público teve um aumento expressivo, afinal, foram vinte e cinco 25 pessoas.

Esses dados significativos levam o observador atento a refletir o quão desafiador foram aqueles primeiros dias de divulgação da Doutrina Espirita. Foram realizadas longas viagens para plantar uma preciosa semente. Certamente que os benfeitores sabiam, de antemão, que as sementes lançadas naquele solo árido de outrora multiplicar-se-iam geometricamente, facilitando e abrindo portas, inclusive, para os que viriam depois, encontrando, assim, felizmente, o solo preparado para receber novas semeaduras.

 

 

 

Despertando os sentimentos de elevada vibração, Divaldo narrou a vida do famoso cirurgião cardiovascular americano, Dr. Dean Ornish (1953-), que viajando para dentro de si mesmo, no alto de sua fama e na posse de uma fortuna colossal, carregava, ele próprio, a culpa insculpida no íntimo, o conflito da ingratidão com o seu velho pai. Este episódio está narrado na obra “Amor e Sobrevivência”, de sua própria autoria. Desta forma, mostrou que o sofrimento tem uma face positiva. É um recurso terapêutico para a alma, que ao mesmo tempo, torna-se um verdadeiro método educacional para o progresso do ser humano. Assim, o indivíduo é impulsionado a realizar a viagem interior, autodescobrindo-se e libertando-se dos grilhões que o retêm na inferioridade espiritual.
Foi, certamente, um daqueles momentos em que o auditório, aparentando se encontrar hipnotizado, deixou-se tomar pela emoção, a maioria tentando conter as lágrimas. Na reflexão, por certo, cada um deve ter encontrado em si mesmo vivências idênticas, que tocou a alma ao identificar-se com a experiência do Dr. Ornish. Afinal, quem nunca agiu com uma certa ingratidão para com o velho pai, ou com a mãezinha dedicada?

É curioso notar a habilidade e a maestria com que Divaldo conduziu a conferência, podendo ser comparado à um “cirurgião de almas”, pois, através de sua oratória, todos são penetrados pelo bisturi Divino, fomentando o despertar para a vida cotidiana, para a realidade espiritual. Quem o escuta com atenção e realiza movimentos em direção ao autoconhecimento, sai da ignorância, extirpando fulcros de cegueira e de ignorância, geradores de enfermidades e sofrimentos.

Finalizando o seminário, teve lugar o momento da gratidão aos organizadores que há meses vem preparando o evento, aos exímios músicos, aos que vieram de outros países, e a todos que de forma anunciada ou anônima auxiliaram na obra do bem. A emoção mais uma vez tomou conta dos corações amigos, que na ânsia de beberem a água cristalina do Espiritismo, servida pelo incansável e amoroso Divaldo Franco, se perguntavam mentalmente: como será para o ano?

A tradução primorosa de Edith Burkhard, vertendo ao idioma alemão o magnífico seminário, de caráter terapêutico, tornou possível alcançar as almas germânicas presentes no evento.
E o semeador? Continua saindo para semear, amanhã, 29 de maio, será a vez de Roma, na Itália.

Você, que nos lê nesse momento, quer saber o segredo para tamanho vigor? Segundo Divaldo é simples: – é amar e servir…

Texto e fotos: Ênio Medeiros

Comments are closed.