11 agosto 2017
11 agosto 2017, Comentários 0

Mais uma noite memorável propiciando ao público, em torno de 3500 pessoas, grandes emoções!

Preparando o ambiente para a conferência de Divaldo Pereira Franco, o Grupo Espírita Caminho da Esperança – GECE (Rua Aristides Lobo, 51, Rio Comprido, Rio de Janeiro), através de seus trabalhadores, transformou o palco da Concha Acústica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, na fictícia Rádio Esperança com o seu programa de entrevistas em que os convidados falavam de Divaldo Franco, dando seus testemunhos da importância do Semeador de Estrelas em suas vidas.

 

 

 

O programa conduzido por Ana Guimarães e Jurandyr Paulo, que mostravam não conhecer o orador baiano, bem como seu trabalho, entrevistaram diversas pessoas encarnadas e outras tantas desencarnadas, como Auta de Souza, Nina Arueira, Irmã Dulce, Manoel Philomeno de Miranda, Chico Xavier, e que somente no decorrer do programa vão desconfiando de que eram “pessoas mortas”.

Divaldo Franco presente à apresentação, ria, aplaudia, feliz com a bela homenagem.
Em seguida a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, através do Programa de Estudos e Pesquisas das Religiões – PROEPER, espaço do Centro de Ciências Sociais (CCS), que busca reflexão permanente e sistemática sobre as religiões e a religiosidade e do Núcleo Espírita Universitário, ambos da UERJ, através de Telma Gama, Nadja do Couto Valle e da representante do NEU e em nome do Reitor Ruy Garcia Marques, homenagearam Divaldo Pereira Franco, com a entrega de uma placa de agradecimento pelos 32 anos de conferências naquela universidade.

Recebidas todas os homenagens, Divaldo agradeceu passando os méritos ao espíritas e ao codificador, Allan Kardec e deu início à sua conferência. Franco buscou mostrar que o Espiritismo em seu tríplice aspecto difere de toda e qualquer outra doutrina, uma vez que não possui dogmas, propriamente ditos, mas fundamenta-se na razão e nos fatos e que assim sendo é uma Doutrina Tríplice, com sua estrutura configurada na Ciência, Filosofia e Religião.
Ciência, pois possui como fundamento a parte experimental com suas idéias organizadas sistematicamente a partir dos fatos, dos fenômenos mediúnicos, das manifestações em geral, empregando efetivamente, o método experimental.

Filosofia, já que sua temática abrange objetos do conhecimento que vão além da experiência sensível, mostrando a existência de Deus, os princípios constitutivos do Universo, que são as causas primárias e as leis morais se valendo do instrumento seguro do método racional.
Religião, na medida em que sua finalidade última é a restauração do Evangelho de Jesus, com a prática de seus ensinamentos e princípios cristãos. É importante, entretanto, esclarecer que o Espiritismo não se vale de formalidades exteriores, de práticas sagradas, rituais ou técnicas coletivas, mas da busca permanente da religiosidade na intimidade de cada ser, a partir de uma atitude interior consciente.
Essa tríplice estrutura está bem fundamenta na obra da codificação, onde os aspectos científicos e filosóficos representam sempre um campo de investigação. Entretanto, no aspecto religioso, repousa a sua grandeza divina, por constituir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo, estabelecendo a renovação definitiva do homem para a grandeza em seu imenso futuro espiritual.

Terminada a palestra, Divaldo Franco recebeu algumas pessoas que foram levar-lhe um abraço, uma saudação e, acima de tudo agradecê-lo pelo importante material que estavam levando para suas casas, para suas vidas, conhecimentos necessários às suas melhores reflexões.

Texto e fotos: Luismar Ornelas de Lima

Comments are closed.