6 abril 2016
6 abril 2016, Comentários 0

Divaldo Franco em Santa Maria – 06 de abril de 2016

Santa Maria/RS

06 de abril de 2016

Em chegando à Santa Maria, Divaldo foi diretamente para os estúdios da RBS-TV, concedendo entrevista para o Jornal Diário de Santa Maria e na TV, no Jornal do Almoço. Os assuntos, entre outros, ficaram focalizados na crise política, nos crimes morais, na defesa dos valores éticos e morais, na exigência dos direitos, no governos arbitrários e na participação do povo nas decisões nacionais, na sensação da falta de tempo, a ansiedade, bem-estar psicológico, mental e emocional, a fé raciocinada, conviver amando, e a alegria de estar vivo no Universo maravilhoso.

 

Tão logo chegou no Ginásio Poliesportivo do Clube Dores, local da conferência, Divaldo foi entrevistado pelo Jornal A Razão. A entrevista girou em torno da crise econômica e política no Brasil, o sentido da vida e uma mensagem de esperança e confiança aos Santa Marienses e em particular aos familiares das vítimas da Boate Kiss. Pouco antes da Conferência, a TV PAMPA entrevistou o orador que falou sobre a Doutrina Espírita, a responsabilidade, os direitos humanos, e o processo de crise que se opera na atualidade, realizando mudanças para melhor.

O Grupo de Música Espírita Arte e Luz apresentou-se executando lindas melodias, que irradiaram harmonia e paz, preparando o ambiente para a atividade de divulgação da Doutrina Espírita. A mesa diretiva foi composta pela Presidente do Conselho Regional Espírita da 4ª Região da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, Maria da Glória da Silva Alves; a Presidente da União Municipal Espírita, promotora do evento, Fátima Lorenzi; o Presidente da Cruzada dos Militares Espíritas, Teltz Farias Cardoso; e Divaldo Franco, conferencista.

Para um público muito atento, estimado em aproximadamente 4.500 pessoas, Divaldo discorreu sobre os transtornos psiquiátricos e obsessivos. Com o advento da Revolução Francesa, sob os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, o médico francês Dr. Philippe Pinel, considerado por muitos o Pai da moderna Psiquiatria, libertou os 53 pacientes com distúrbios mentais que se encontravam presos em uma masmorra no Hospital Bicêtre, para dar-lhes um tratamento mais humano, restituindo-lhes a dignidade. Pinel revolucionou essa Ciência, a Psiquiatria. Criou uma abordagem psicológica mais humana no atendimento e cuidados aos pacientes psiquiátricos, chamada atualmente de terapia moral. Ganhou notoriedade por ter considerado que os seres humanos que sofriam de perturbações mentais eram doentes e que ao contrário do que acontecia na época, deviam ser tratados como doentes e não de forma violenta. Iniciava-se uma era nova para a compreensão do funcionamento do cérebro humano.

Outro cientista dessa área contribuiu para o aprofundamento do Conhecimento. Trata-se de Paul Pierre Broca, cientista, médico, anatomista, descobridor do centro de uso da palavra no cérebro humano. A ciência avança. Charles Robert Richet, fisiologista francês, descobridor da soroterapia, criou a metapsíquica e recebeu o Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1913. A depressão, como hoje, já se apresentava agressiva naqueles tempos. Aliado aos tratamentos psiquiátricos estão os fármacos que tanto têm ajudado ao homem enfermo encontrar o seu equilíbrio.

O ideal, disse o nobre conferencista, é desenvolver estruturas psicológicas para poder suportar as revezes da vida. O grande desafio que os indivíduos devem ter é a descoberta de um sentido para a vida. Vida que é possuidora de uma causalidade. O grande objetivo do homem é amar, é construir uma sociedade calcada nos padrões de amor. O importante é não ser inimigo de quem quer que seja.

Apresentando as observações de Allan Kardec, o codificador da Doutrina Espírita, Divaldo discorreu sobre os transtornos de natureza obsessiva, com causas e efeitos. Cada indivíduo infrator à Lei Divina deve buscar saldar os seus débitos espirituais através do amor que possa oferecer ao outro. A ética da vida é o amor. Finalizando seu brilhante trabalho, Divaldo Franco deixou uma mensagem de alegria, lembrando que aqueles que se transferiram para o mundo espiritual continuam amando. É necessário que os indivíduos desenvolvam o autoamor. “Vinde a mim, todos vós que estais sobrecarregados, pois que Eu vos aliviarei.” Jesus (Mateus, 11:28 a 30). Após recitar o Poema da Gratidão, Divaldo foi vibrantemente aplaudido pelo público que se postou de pé. Os autógrafos, que Divaldo gentilmente concedia, entretecendo comentários, se seguiram até as 23h00min.

Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke

Comments are closed.