24 abril 2017
24 abril 2017, Comentários 0

Divaldo Franco em Neiva – Colômbia

Em 24 de abril de 2017, Divaldo Franco visitou a cidade de Neiva, na Colômbia, onde foi recebido com grande alegria no Centro Espírita Bezerra de Menezes, quando lhe foi prestada uma sincera homenagem.

Antes da conferência, dialogou com os jovens das Comunas 8 e 9, uma das mais pobres da cidade, na sede da Biblioteca Departamental, contando suas experiências na Mansão do Caminho, obra social em Salvador/BA, no Brasil, como estímulo para que aplicassem às suas vidas.

Com o seu inigualável dom da oratória, Divaldo cativou o público com uma magistral palestra sobre “Os Desafios da Vida Familiar”, realizada no centro Convenções José Eustacio Rivera. Iniciou falando sobre a verdadeira felicidade. Ela consiste em, sempre que nos depararmos com um problema, uma dificuldade, em vez de lamentar, procurar uma solução, uma fórmula para transformar o que é uma desgraça, em uma bênção de Deus.

 

Estamos passando por uma crise internacional que começa na criatura humana. A nossa sociedade atingiu o mais alto nível de ciência e tecnologia, no entanto, não atingiu o mesmo nível de felicidade. Quando entramos em um processo crítico, a sociedade vacila e as situações da vida se apresentam infelizes, é, então, necessário reagir de forma apropriada para que este aparente mal não nos conduza ao desespero ou à guerra.

A questão 742 de O Livro dos Espíritos explica quais as razões para as guerras: “Predominância da natureza animal sobre a natureza espiritual, e a satisfação das paixões”. Isto é, nós ainda somos dominados pelas paixões inferiores e não conseguimos nos livrar delas para alcançar a plenitude.

Fazendo uma análise da evolução da criatura humana, antropólogos concluíram que o homem evolui do instinto animal em direção à inteligência, às emoções, à angelitude. No início, tivemos três instintos básicos: comer, dormir, fazer sexo, éramos animais como aqueles da escala inferior. Todavia, nosso cérebro não tinha desenvolvido a parte superior, o neo córtex. Nós temos três cérebros, o último a ser formado tem aproximadamente um milhão de anos, esse é o neo córtex, responsável pelas emoções, pelo raciocínio, pelos sentimentos, pela ternura, pelo amor. O amor é a mais nova emoção que conseguimos estruturar, por ele agimos mais através de nossos instintos do que pela razão.

A educação começa em casa, a escola não educa, instrui. A função da escola é fornecer conhecimento intelectual. A educação moral é oferecida no lar. Aquelas crianças que são amadas desde a vida intrauterina são mais felizes. Amor familiar é de fundamental importância, porque a família é um conglomerado de criaturas formando uma unidade, esta unidade constrói o grupo social, que por sua vez, fornece a base para a nação, e
esta nação constrói a humanidade. Allan Kardec escreveu em 1857, que é necessário nos preocuparmos com a educação, porém, não a educação adquirida através dos livros, mas a Educação Moral que vem da intimidade doméstica, essa educação é a inimiga da iniquidade, da violência. A educação é o método para domar nossas más inclinações, conforme diz Allan Kardec, dominando as sombras, esse legado psicológico oriundo de nossas paixões, do processo evolutivo.

O Espiritismo é uma ciência pedagógica, é uma ciência educacional porque trabalha com a alma da criatura, o corpo é uma parte atômica de moléculas que se aglutinam para que a alma faça a sua trajetória evolutiva. É Espírito que possui as paixões. A carne é escrava de nossos sentimentos, de nossas paixões, de nossa inferioridade, ou de nossa grandeza. Kardec diz que é necessário educar o corpo animal, a matéria é destituída do princípio individual, esse é do Espírito.

A família é um conglomerado, é a constelação de criaturas que se reúnem para evoluir dentro do mesmo clã. Se não temos família que gostaríamos, temos a família que precisamos. Quando estamos em uma família que não gostamos, é uma prova, estamos com inimigos de outras vidas no próprio lar, ou com um ex-amante de outra época que está nos provocando sexualidade, a pedofilia. Assim, nos cabe controlar os instintos inferiores.
Portanto, a função educativa ante os desafios da família, é o amor.

O Espiritismo tem uma explicação para o rancor entre irmãos, mãe, pai e filhos. Nossa existência não é única, desde que fomos criados começa a vida que nunca será extinta. A experiência atual começa no berço, concluindo na sepultura a existência física, mas a vida continua e é graças a isso que a evolução é perpétua e necessária para se conquistar a plenitude, a felicidade, assim, a família é muito importante para a Doutrina Espírita.

Na vida há leis universais, leis de amor. Jesus Cristo tornou-se o mensageiro extraordinário e nos apresentou a ética do amor, no entanto, em vez de amarmo-nos, nos armamos.

Finalizando, Divaldo compartilhou as 5 regras que Joanna de Ângelis, seu guia espiritual, lhe deu há mais de 20 anos: 1. A vida é bela; 2. Eu nasci para amar; 3. Eu vivo para servir; 4. Há um sol brilhando dentro de mim; 5. O mal que me fazem não me fez mal, o mal que eu faço é o que me faz mal, porque me torna um ser mau.

Texto: Diana Burgos S
Fotos: Eduardo Ariza
Tradução: Paulo Salerno

Comments are closed.