13 fevereiro 2016
13 fevereiro 2016, Comentários 0

A Fundação Educandário Pestalozzi, criada (1944) a partir do ideal da professora Maria Aparecida Novelino e de seu marido o médico Dr. Tomás Novelino ofereceu as dependências de seu ginásio esportivo para acomodar as mais de 1.000 pessoas que se reuniram no sábado, dia 13.02.2016 para ouvir o tribuno Divaldo Pereira Franco apresentar o mini seminário “Vitória Sobre as Paixões”.

Com o objetivo de uniformizar o conhecimento entre todos, Divaldo dedicou a parte inicial do seminário para esclarecer a todos do significado dos principais termos e expressões específicas da psiquiatria e psicologia (Consciente, Subconsciente, Inconsciente Individual, Inconsciente Coletivo, Ego e Self).

 

Divaldo foi definindo o significado dos termos de forma bastante clara e didática entremeando os esclarecimentos com detalhes das figuras de Sigmund Freud – o pai da Psicanálise – e do psiquiatra suíço Karl Gustav Yung que se dedicaram a interpretar a criatura humana.

Em seguida Divaldo deu início a identificação da gênese das paixões humanas, abordando as enormes dificuldades para o continuo e longo caminho para a criatura livrar-se da escravização do EGO (aquilo que aparentamos) e dos seus malefícios desenvolvendo a primazia do SELF (Ser profundo).

Divaldo abordou um tema tão complexo de maneira cristalina e agradável, referindo-se à obra “O Cavaleiro Preso na Armadura” (editora Record) do escritor e roteirista americano Robert Fischer.

Citando a situação vivida pelo cavaleiro que busca livrar-se da armadura em que vive preso, Divaldo Franco enfatizou a necessidade premente de dedicarmos nossas energias e tempo para livrarmo-nos da “armadura” do EGO deixando vir à luz o SELF.

O Espiritismo nos dá o caminho: “O egoísmo se enfraquecerá à proporção que a vida moral for predominando sobre a vida material e, sobretudo, com a compreensão, que o Espiritismo vos faculta, do vosso estado futuro, real e não desfigurado por ficções alegóricas”.( O Livro dos Espíritos, Editora FEB, questão 917) Para que essa conquista seja permanente a transformação deve ser de dentro para fora. Mas como operacionalizar a reforma íntima preconizada por Jesus e enfatizada pela Doutrina Espírita?

Divaldo dá o roteiro buscando uma vez mais o repositório da Doutrina Espírita o Livro dos Espíritos onde Kardec indaga aos Espíritos Superiores na questão 919: Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?

A resposta sucinta dos Tarefeiros do Cristo não deixa margem alguma a dúvidas:
“Um sábio da antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”

Esse é a nossa prioridade: A viagem Interior que nos auxiliará no reconhecimento das múltiplas imperfeições que  aguardam serem, ainda, identificadas para depois, então, serem transformadas em virtudes como também daquelas outras que apesar de já reconhecidas aguardam nossa decisão firme para sublimá-las.

Sem pressa, mas sem pausa.

Texto: Djair de Souza Ribeiro
Fotos: Sandra Patrocínio

Comments are closed.