21 junho 2016
21 junho 2016, Comentários 0

Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6:33

A noite do dia 21 de junho de 2016 na cidade de São Paulo estava fria, 13° C. Uma persistente garoa tornava a sensação térmica ainda mais baixa. Todos os que podiam buscavam seus lares para se abrigarem do frio e da umidade.

Ali, porém, no microcosmo da Metrópole, em sua periferia no bairro da Água Rasa, uma verdadeira multidão apressava-se para se acomodar no majestoso auditório do Centro Espírita Perseverança que se tornou pequeno para acomodar tantos interessados. Salas de apoio com telões foram disponibilizadas. Cerca de 5.000 pessoas, com frio, mas movidas pela decisão de se aquecerem com a mensagem de amor, se juntaram expectantes e esperançosas. Divaldo Franco, retornando de compromissos no exterior, postou-se diante de todos e iluminou-nos a todos com sua mensagem otimista. Iniciou citando o versículo 33 do capítulo 6 do livro de Mateus ” buscai primeiro o reino de Deus e Sua justiça, e tudo mais vos será acrescentada”.

Ensinamento do Mestre e que compõe o Sermão da Montanha na parte que o célebre professor Carlos Torres Pastorino denomina de Preocupações, versículos nos quais Jesus nos recomenda que não devemos nos preocupar com os bens materiais. Nesta afirmação – nos ensina Divaldo – Jesus promete, não só a obtenção das coisas espirituais (o reino de Deus), mas também toda e qualquer outra coisa material que não seja contrária àquela. De maneira simples, mas esclarecedoras, Divaldo nos diz: Todo homem que tiver, de fato, realizado a si mesmo, o seu Eu espiritual e divino, será capaz de realizar tudo fora de si. A realização do sujeito produz a realização dos objetos. Divaldo enfatiza com suas palavras que o ponto básico é o ensino da NÃO PREOCUPAÇÃO pois não é a ocupação de buscar atender às necessidades materiais que cansa, mas a excessiva preocupação de todos por tudo que é secundário.

 

As criaturas todas se deixam envolver pelas preocupações ansiosas que causam angústia e descontrolam o emocional, com repercussões físicas. O silêncio da multidão é eloquente. Todos aguardamos, expectantes, as lições de vida que seguem. Divaldo, buscando inspiração nas fontes do amor inesgotável e incondicional de Jesus por nós prossegue: O homem não espiritualizado vive na estranha ilusão de que deva realizar, aqui na terra, umas quantas coisas, e, quanto mais coisas externas realizar tanto mais “vitorioso” foi na vida. Ganhar dinheiro, comprar terrenos, construir casas, fruir grande soma de variados prazeres, adquirir celebridade, fazer um bom casamento, criar filhos, conquistar posição social e política, etc.

Entretanto, tudo isto é realização de metas, no plano horizontal, de algo que é dele, mas que não é ele. Realiza objetos, não realiza o sujeito. Conhece a fundo todos os recantos no plano horizontal, ignorando, talvez, por completo os mistérios do plano vertical. E isto porque não aprendeu a lição que já nos foi ensinada há dois mil anos, na teimosia do erro que não quer ver a verdade. Lição sublime se for seguida, pois os resultados são realmente fabulosos. Só quem o experimentou pode confirmá-lo: não falha jamais a Providência divina! Para trazer este ensinamento para o campo prático Divaldo cita diversos personagens da humanidade que experimentaram buscar o Reino de Deus e Sua Justiça.

Inicia falando do escritor Leon Tolstoi (Liev Nikolayevich Tolstoi – 09.09.1828 — 20.11.1910) um dos grandes nomes da literatura russa do século XIX e que publicou os romances Guerra e Paz (no Brasil publicado pela Editora Seguinte) e Anna Karenina (publicado no Brasil pela editora Cosac & Naify), obras que o consagraram no meio literário mundial.

A fama, o destaque e reconhecimento da aristocracia russa – seus pares pois ele era Conde – não conseguia, contudo preencher o vazio que ele sentia. E em um gesto inesperado, abdicou de seus títulos e passou a viver de forma simples junto dos agricultores de sua antiga propriedade, vivendo uma vida simples e em proximidade à natureza. Buscava o Reino de Deus e Sua justiça.

Em 1.894 trouxe à luz aquela que seria identificada como a grande obra de não ficção de Tolstói: O Reino de Deus Está em Vós (publicado no Brasil pela Editora BestBolso).

Neste livro, Tolstói defende a ideia de que o cristianismo não é uma doutrina abstrata, mas uma proposta prática para a vida.

O livro gerou tanta polêmica que foi vetado pelo czar, e seu autor excomungado pela Igreja Ortodoxa Russa e por essa razão foi publicado pela primeira vez na Alemanha, pois fora banido em seu país de origem, a Rússia.

Anos mais tarde esse livro foi lido por um indiano radicado na África do Sul e que pela cor da sua pele sofria ignominiosa descriminação. Advogado por formação acadêmica, professando o hinduísmo, esse jovem encontrou a motivação para seguir sua missão.

Assim Mohandas Karamchand Gandhi (02.10.1869—30.01.1948) deixou a África do Sul e voltou à, então colônia inglesa da Índia, onde se tornou, mais conhecido como Mahatma (A Grande Alma) Gandhi e, pacificamente, libertou o povo da subjugação inglesa.

E o livro que inspirou Gandhi, anos mais tarde caiu nas mãos do americano Martin Luther King Junior (15.01.1929—04.04.1968) um pastor protestante que se tornou um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo, com uma campanha de não violência e de amor ao próximo.

Exemplos basilares dos quais se serviu Divaldo para nos mostrar as consequências da vivência dos postulados de Jesus.

Ali, em pé, do alto da tribuna conclui Divaldo: Não estamos aqui para sofrer.

Deus estabeleceu leis plenas de sabedoria, que só têm por objetivo o bem.

Se o homem se adaptasse rigorosamente às leis divinas, evitaria os males mais agudos e viveria feliz na Terra.

A saciedade é o limite colocado por Deus à satisfação das necessidades do homem O sofrimento nos alcança quando violamos as leis divinas.

A multidão foi deixando as salas que ocuparam e dirigindo-se para seus lares.

O frio e a garoa aumentaram de intensidade. Traziam os corpos enregelados, mas os corações aquecidos pela mensagem de Jesus, o tipo mais perfeito que Deus deu aos homens para lhes servir de Modelo e Guia. O Modelo que jamais nos abandona.

Fotos: Sandra Patrocinio
Texto: Djair de Souza Ribeiro

Comments are closed.