17 dezembro 2016
17 dezembro 2016, Comentários 0

Mansão do Caminho
Centro Espírita Caminho da Redenção
17 de dezembro de 2016

Caravana Auta de Souza

A Caravana Auta de Souza, fundada em setembro de 1948, foi o primeiro departamento do Centro Espírita Caminho da Redenção. Atualmente são 330 inscritos. Estão distribuídos por sete grupos. Dois, de doentes graves, geralmente aidéticos, cancerosos e tuberculosos. Um grupo, de gestantes. Os idosos, com mais de 65 anos de idade, ou incapacitados, formam quatro grupos.

Os idosos e as gestantes foram recebidos para comemorar o Natal e receber seus farnéis na manhã do dia 17 de dezembro. Recepcionados com alegria, carinho e abraços calorosos, foram acomodados para um rápido lanche, antecipado por uma prece e breves palavras de acolhimento. Cada assistido recebeu um presente para si e outro para seus filhos menores, ou netos e mais uma barra de chocolate. Meninos ganharam bolas, as meninas receberam uma boneca. Após a atividade doutrinária, na saída, cada um levou o seu farnel quinzenal composto de 27 itens, do feijão ao sabonete. Ainda no acolhimento, um trio de jovens da Juventude Espírita Nina Arueira – JENA -, formado por Danilo, Carol e Gustavo, animaram os presentes com lindas canções, inclusive natalinas.

Todos asserenados em seus lugares, mantinham-se expectantes, esperançosos, embora sofridos. Os idosos, do alto de suas experiências, confabulavam calmamente, na velocidade que seus corpos macerados pelas dores do mundo permitiam. As gestantes, algumas com seus rebentos recém-nascidos nos braços, guardavam no brilho de seus olhos a chama da esperança e da gratidão à vida. Todos buscavam dignidade, ansiavam por um momento para agradecer o amor recebido que lhes chega em forma de auxílio para suas necessidades básicas, material ou espiritual.

Tia Raimunda, uma dileta e abnegada trabalhadora da Caravana Auta de Souza, desencarnada a pouco, foi homenageada e lembrada pelas suas ações na Caravana, registradas em fotografias. Amorosa e dedicada trabalhadora, incansável e disciplinada, deixou um legado muito importante, exemplar.

Lembrando o período de natal, direcionando os pensamentos para Jesus e afastando-os do mero consumismo, foi realizado um trabalho de apresentação dos acontecimentos e feitos do Mestre amoroso, destacando fatos da vida de Jesus, do nascimento ao batismo, descrevendo a narrativa de João 3:16 e 17. Edilton Silva destacou que o homem vive para fazer a vontade de Deus. Nesse período, em que os cristãos comemoram o nascimento de Jesus, Ele está mais presente e mais vivo nos corações dos homens que devem viver para fazerem a vontade de Deus.

Sensibilizando e acolhendo aquelas criaturas sedentas de amor e paz, Edilton destacou que esse é um período em que Jesus, com mais ênfase, bate às portas dos corações e dos lares. Em cada lar, comparou o orador, o pai está no papel de José, cada mãe representa a Mãe Santíssima, e seus filhos a esperança da renovação e do crescimento, físico e espiritual. Cada indivíduo deve procurar agir de tal forma que não se pense apenas em receber coisas, presentes, mas, principalmente, possa almejar receber o alimento do Espírito. Madre Teresa de Calcutá dizia que tudo deve começar por uma prece, e ao encerrar o dia, ao dormir, também fazer uma prece, principalmente de gratidão pelas oportunidades do dia.

No Natal de Jesus devemos nos banhar de luz, de alegria pelo bálsamo da vida, do pão do corpo e do espírito. Presenteemos Jesus com as nossas boas ações, fazendo o bem, que cada pensamento seja uma oração. Ao celebrar o Natal de Jesus saibamos repetir o louvor: Glória a Deus nas alturas e paz aos homens de boa vontade.

Cada assistido, muitos com seus acompanhantes, pelas debilidades naturais, foram recebendo os farnéis, retornando aos seus lares levando nos corações o calor do amor que aquece, alimenta, acolhe e sustenta.

Estudo das Obras da Série psicológica de Joanna de Ângelis

No período da tarde, a partir das 16h00min, foi realizado mais um encontro de estudo das obras da Série Psicológica de Joanna de Ângelis. O encontro é carinhosamente denominado de aulão. Esse trabalho é coordenado por Íris e Cláudio Sinoti. O tema foi: O Ser Real – Problemas da Evolução. O estudo foi todo baseado no capítulo I, da obra Autodescobrimento: Uma busca Interior, da mentora acima e psicografada por Divaldo Franco. Neste evento estiveram presentes caravanas de diversos Estados, do Paraguai e da Suiça.

Cláudio Sinoti conduziu os presentes para uma reflexão sobre os momentos atuais, onde os tempos são desafiadores, as crises se encontram instaladas em muitos pontos. Não obstante, a mídia de forma geral faz uma maciça divulgação de fatos lamentáveis, fazendo crer que estamos à beira do caos, porém, a humanidade possui motivos suficientes para saber que dias melhores estão por vir. Em sendo o ser humano um dínamo gerador de energias, cabe ao indivíduo dotado de certa lucidez aprender a cuidar do corpo físico, a controlar as emoções e como lidar com elas, tais o medo, a raiva, etc.

Na medida em que o ser humano se conscientiza sobre a sua realidade, inicia-se um processo de despertamento de valores antes ocultos. O objetivo é alcançar a harmonia entre o ser espiritual e o físico, deixando de dar importância maior ao que desagrada, para valorizar as ocorrências boas e salutares. Os caminhos para a cura real transitam pela mudança de hábitos mentais, pela aquisição de valores morais elevados, pensamentos edificantes, pelo estabelecimento do controle emocional, renascendo constantemente, renovando a consciência, autodescobrindo-se, tornando-se um ser integral.

Íris Sinoti tratou sobre os problemas da evolução, isto é, deslocando-se de uma posição inferior, para uma superior. Nesse processo, os indivíduos devem investir no seu autoconhecimento, identificando o que é mau e o que é bom e, que jazem na intimidade de cada criatura. Cada um possui um patrimônio próprio, construído pelos seus atos, montando a sua história conforme deseja. Métodos corretivos e educacionais são os estímulos que as Leis da Vida recorrem para o aprimoramento dos seres humanos. No processo de crescimento, o sofrimento se constitui em fator de aprimoramento, de instrumento de evolução, considerado o estágio atual da humanidade terrestre.

As boas intenções não são suficientes, é necessário partir para a ação. Todos estão capacitados para resolver situações afligentes. Apesar dos flagelos que dilaceram os indivíduos que se equivocam em relação às Leis Divinas, mantendo bom ânimo, luta constante contra as imperfeições e autodescobrindo-se, tornam-se vencedores, integrais. Cada indivíduo deve aproveitar todos os benefícios que as situações adversas apresentam, fortalecendo-se espiritual e moralmente.

Os problemas da evolução são constituídos pela não-aceitação dos problemas que experimenta, pelo egoísmo, pela autocomiseração, pelo amor-próprio exacerbado. A vitimização, a falta de coragem para os enfrentamentos necessários, as transferências psicológicas continuadas, adiando soluções, deixando que os desequilíbrios internos se avolumem, são outros tantos impedimentos para que a evolução seja alcançada com mais facilidade, construindo o homem de bem, o homem integral.

Texto e fotos: Paulo Salerno

 

Comments are closed.