14 outubro 2017
14 outubro 2017, Comentários 0

Bogotá, Colômbia, 14 de outubro de 2017

No dia 14 de outubro de 2017, no Centro de Convenções de Compensar, na cidade de Bogotá, Colômbia, foi aberto o 4º Congresso  Espírita Sul-americano, sob os auspícios do Conselho Espírita Internacional (CEI), do CEI Sul-americano, da Federação Espírita Colombiana, e da Federação Espírita de Cundinamarca. Com um público de aproximadamente 800 pessoas que lotaram o auditório principal, o emérito orador e divulgador da Doutrina Espírita Divaldo Pereira Franco abriu oficialmente as atividades, saudando o público ali presente.

Brindando-nos com belíssima palestra – Doutrina Espirita – Caminho para a Felicidade – Divaldo fez um périplo pelos fatos e personalidades marcantes do seculo XVI, XVII e XVIII, trazendo-nos, em um preâmbulo, algumas descobertas científicas da época que antecederam o período iluminista e a revolução francesa, onde pensadores e cientistas nobres trouxeram-nos, à luz da ciência e da filosofia, descobertas importantes no campo da matemática, da astronomia, da física e do pensamento.

 

 

Ao mesmo tempo, ideias materialistas, em choques profundos com a doutrina vigente da fé cega, passaram a permear os círculos acadêmicos-científicos, filosóficos e políticos, trazendo nas doutrinas pessimistas de Schopenhauer, Friedrich Nietzsche, e as ideias cruéis de Spencer e tantos outros, revivendo as tradições do pensamento materialista mais antigo, que preconizavam a inexistência de Deus e da imortalidade da alma.

Divaldo, apresentando a sequência dos acontecimentos da época, destacou a figura do grande médium Daniel Dunglas Home, relatando a multiplicidade de fenômenos mediúnicos que este produzia através de suas faculdades, despertando a curiosidade da alta sociedade, até mesmo do próprio imperador Napoleão III.

Discorrendo sobre a conjuntura política da época em síntese admirável, passou pela Revolução Francesa, a formação do império Napoleônico, culminando com a vinda do Consolador Prometido por Jesus através da Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec, elucidando as mentes e trazendo a mensagem inigualável de Jesus sob a ótica espiritista.

A Doutrina Espírita expandiu-se na França e na Europa apesar das ideias materialistas que passavam a se espalhar. O Consolador Prometido atravessou o Atlântico, encontrando no Brasil terreno fértil para progredir e expandir-se como nunca. Espíritos nobres voltam ao corpo físico, tal como, Adolfo Bezerra de Menezes que dirigiu a recém-criada Federação Espirita Brasileira até o ano de 1900 quando desencarnou, trazendo o pensamento de Jesus na sua maior pureza.

O materialismo segue em sua batalha contra o Espiritismo, afirmando que se tratava de mais uma filosofia africana de caráter inferior, mas perde-se nos argumentos menores, sem conseguir consolar o ser humano carente de Deus, de alívio para suas dores e de amor.

Divaldo destacou, também, momentos de sua infância e juventude, quando fenômenos mediúnicos começavam a incomodá-lo sobremaneira; relatou seus primeiros contatos com o Espiritismo, bem como, descreveu experiências que teve com Chico Xavier, onde este lhe trouxe mensagens especiais de sua mãe, já desencarnada, com fatos impossíveis de serem contestados diante do detalhamento de dados trazidos por Chico Xavier.

Encerrou a palestra com o belíssimo Poema da Gratidão, despertando em cada um de nós uma profunda gratidão por todo o seu labor ao redor do mundo em prol da divulgação desta abençoada Doutrina.

No dia seguinte, 15 de outubro, entre as diversas atividades e palestras desenvolvidas pelos oradores de vários países que ali também se encontravam participando do evento grandioso, Divaldo desenvolveu um workshop com os jovens, com o tema – A Juventude Espírita nos Tempos de Transição Planetária – Dialogo com os Jovens – encantando a todos com sua oratória e didática
impressionante.

No último dia, 16 de outubro, encerrando o 4º Congresso Sul-americano, Divaldo apresentou belíssima palestra, com a temática – A Era do Espírito Imortal – sendo ao final ovacionado de pé por toda a plateia e a mesa diretiva das atividades.

Que homem é esse que se chama Divaldo Pereira Franco?! Que energia?! Que vitalidade?! No auge de seus 90 anos de idade, seguindo em frente de forma inigualável, pelo mundo afora, instruindo-nos, alertando-nos, consolando-nos, e propagando a Paz!

Muito obrigado Divaldo!

Marcelo Netto/Diana Burgos

Fotos: Facebook

Comments are closed.