10 setembro 2016
10 setembro 2016, Comentários 0

Divaldo Franco em Vitória da Conquista – 10/09/2016

Na manhã do dia 10 de setembro, a partir das 9h, teve início a atividade da Semana Espírita. Merece considerar que foi homenageado o setembro amarelo dedicado à prevenção do suicídio. As atividades tiveram início com uma bela apresentação do jovem Yuri Barreto tocando ao violão de forma magistral duas músicas do repertório internacional. Logo aplaudido com entusiasmo o mestre de cerimônias Jean convidou à tribuna o nosso irmão Divaldo Franco para a abordagem do seu tema a respeito da Transição Planetária. Considerando-se a questão do suicídio, Divaldo remontou a Segunda Guerra Mundial para narrar comovedora história real escrita por Pièrre Van Paasen a respeito do jovem Ugolin. A belíssima história sensibilizou o auditório.

 

Divaldo, no entanto, fez uma ponte literária entre a geração atual, ainda egotista e a geração da Nova Era na qual predominarão o amor, a solidariedade, a caridade. Ao encerrar a narrativa, foi aplaudido e houve o primeiro intervalo.

Durante o mesmo foram assinados os autógrafos. Ao retornar, o nosso irmão aprofundou-se no tema da Transição Planetária conforme o livro do mesmo título de autoria do Espírito Manoel Philomeno de Miranda. Observou em uma análise sociopsicologicoeconômico da sociedade contemporânea a grande Transição demonstrando que a atual crise a que todos se referem é de natureza individual em razão dos conflitos vigentes na alma humana. Procurou demonstrar que a solução para todos eles é o amor na sua faceta mais profunda conforme ensinado e vivido por Jesus Cristo. Ao meio dia houve o encerramento e a partir das 15h com o auditório repleto teve início a programação de perguntas e respostas.

Muito bem urdidas as perguntas variadas abordavam os temas graves à luz da Doutrina Espírita. Divaldo as respondeu com claridade do pensamento deixando-nos, a todos esclarecidos. Houve o primeiro intervalo e à continuação voltou-se ao questionamento e depois de algumas interrogações e comentários Divaldo deteve-se no tema do suicídio, apresentando considerações profundas e comovedoras, com as quais, encerrou a atividade, recitando um poema ditado pelo Espírito Auta de Souza. Muito aplaudido, concluiu-se esta etapa que seria continuada pela conferência de Alberto Almeida, à noite, com o tema O Amor Pede Passagem.

Fotos e texto: Lucas Milagre

Comments are closed.